Praticar sem “para”

Luang Pó Jandee fala sobre como é um verdadeiro Sotāpanna e faz um elogio ao Zen.

Notas:

  • É raro alguém perguntar sobre sotāpanna: isso foi dito em tom de ironia. Na verdade, o que ocorre é que qualquer mestre que ganha reputação como praticante do Dhamma tem que lidar com um fluxo constante de pessoas que vão procurá-lo para “avisar” que já são sotāpanna. É um engano muito comum, em geral as pessoas superavaliam suas experiências ou simplesmente leem muito os textos até acharem que não têm mais dúvidas, e portanto, estão “iluminadas”. Em 99% dos casos, o mestre tenta ajudar a pessoa a abandonar essa ilusão mas não consegue, a pessoa se recusa a ouvir pois, afinal de contas, ela já é iluminada.
  • Sakkāya-ditthi, vicikicchā, sīlabbata-parāmāsa: ver glossário.
  • Cuia: a palavra em tailandês para “cuia” soa similar a “khandha”.
  • Minha conduta seria criticada pelos sábios?: uma das 10 reflexões ensinadas pelo Buddha aos monges (ver Dasa Dhamma Sutta)
  • Melhor que ser cachorro, não?: chamar alguém de cachorro é a forma mais grave de ofensa na Tailândia.
  • Quebra da regra monástica: os monges não devem praticar como forma de exibição, para que as pessoas os admirem.
  • Se perdem no caminho: há um trocadilho aqui, significa que o praticante se obceca pelo caminho e negligencia o destino.
  • Vestir branco: em certas ocasiões, leigos vestem roupas brancas para demonstrar que estão observando os oito preceitos.

Baixe a transcrição deste ensinamento: Versão PDF / Versão ePub

4 comentários sobre “Praticar sem “para”

  1. A meu ver, esta é a melhor Desanā de todas as quais tive a oportunidade de assistir neste excelente site. Gosto muito dos vídeos de Luang Pó Jandee. Contudo, neste, especificamente, o Venerável estava inspiradíssimo… Muito obrigado, Venerável Ajahn Mudito! Gratidão!

      • Nossa, Bhante… Começou bem, hein!? Que incrível! Fico feliz em saber… Aliás, fico feliz em saber que esses bhikkhus existem no planeta Terra, visto que pessoas sábias assim estão, infelizmente, muito distantes da realidade em que vivo… O Ajahn Chah pessoalmente também devia ser absurdamente inspirador… Obrigado por publicar o vídeo, Bhante, de coração! _/|_

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.