Tome posse da sua mente

Ajahn Suchát fala sobre renúncia e a relação com o desenvolvimento mental.

O tradutor está bastante ciente de que o que Ajahn Suchát fala nessa gravação não é o que a maioria das pessoas quer ouvir e não é o que diz a maioria dos professores ocidentais de budismo, mas foi justamente por isso que decidi traduzir e publicar aqui, uma vez que era esse o real propósito que tinha em mente quando decidi criar este site: dar às pessoas a oportunidade de ouvir algo além do budismo de vitrine, ouvir diretamente o relato de quem de fato fez, não só daqueles que pensam a respeito. É verdade que é possível praticar só estando no momento presente sem ter que abrir mão de nada, mas também é verdade que muitas vezes as pessoas falam preocupados apenas em dizer o que o público quer ouvir. Antes de concordar ou discordar compare o que Ajahn Suchát está dizendo com as palavras do Buddha e também com a história de vida de mestres do passado, quer seja no Theravada ou mesmo no Mahayana. Também vale notar que em diversas passagens do Tipitaka o pensamento que leva pessoas à renúncia é o seguinte: Como eu entendo o Dhamma ensinado pelo Abençoado, não é fácil viver em família e praticar a vida santa completamente perfeita, totalmente pura, como uma concha polida. E se eu raspasse o meu cabelo e barba, vestisse os mantos de cor ocre e seguisse a vida santa?” (Ratthapala Sutta). Mais sugestões para leitura: Sukhamala Sutta, Hatthaka Sutta, Os Costumes dos Nobres
Notas:
  • Nāma (pāli): refere ao aspecto mental, em oposição ao aspecto físico (rūpa).
  • Obstáculos: refere-se aos cinco obstáculos à concentração mental (nīvaranas).
  • Cânticos: recitar textos em pāli (pūja).
  • Fomos educados a seguir as regras: talvez isso seja verdade para a geração de Ajahn Suchát, já as gerações mais novas de tailandeses foram e estão sendo educadas dentro de uma imitação muito distorcida e deformada da cultura ocidental, todo o tesouro cultural tailandês foi jogado no lixo em prol da modernização.
  • Venerável Pothila: essa história pode ser encontrada no comentário do verso 282 do Dhammapada.
  • Estudou as escrituras inteiras: o termo “escritura” não é o melhor aqui, uma vez que naquela época o texto ainda não havia sido posto em papel, na verdade ele era memorizado pelos monges.
  • Preceitos: refere-se aos cinco preceitos (panca sīla).

Baixe a transcrição deste ensinamento: Versão PDF / Versão ePub

7 comentários sobre “Tome posse da sua mente

  1. Curioso é que muito do que ele disse, sobretudo no que tange a frugalidade, eu já praticava no meu dia a dia mesmo antes de conhecer o budismo. Foi bom porque serviu para confirmar que o ‘insight’ que eu já havia percebido por mim mesmo está correto, de acordo com aspectos do Dhamma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.