Uma só palavra basta

Na Inglaterra, Ajahn Chah ensina como ensinar o Dhamma. Essa gravação já foi traduzida anteriormente sob o título “Even one word is enough”.

Notas:

  • Sīla kathā… (etc): os itens que compõe o “ensinamento progressivo” do Buddha (consulte Ānupubbikathā no glossário).
  • Cansado: a palavra เบื่อ em tailandês denota um cansaço mental.
  • Orador: em tailandês, นักเทศน์, um monge hábil em discursar sobre o Dhamma.

Baixe a transcrição deste ensinamento: Versão PDF / Versão ePub

10 comentários sobre “Uma só palavra basta

  1. Obrigado Bhante!
    Venerável senhor, se você tiver tempo, eu gostaria de perguntar se o Zazen, a meditação do Budismo Zen, é uma prática válida? Porque é uma meditação meio que sem objeto, que observa tudo surgindo e cessando mas não pega um objeto para meditar, essa é uma boa prática?

  2. Eu não sei se você está perguntando para mim ou é para eu levar essa a pergunta a um dos mestres como citado no post anterior. De qualquer forma, nem eu nem a maioria dos mestres que conheço tem muito conhecimento sobre Zen e seria difícil obter uma resposta, mas eu sei que já perguntaram isso várias vezes para Ajahn Paññavadho e ele deu respostas interessantes que cito aqui. Estes são trechos de diferentes entrevistas (não traduzi, mas copie e cole no Google Translate, a tradução sai boa o suficiente), o texto integral pode ser encontrado em http://www.forestdhamma.org/audio/panya-audio/

    What did you mean by saying that Zen is exclusively a wisdom teaching?
    Zen methods try to force a person to understand everything directly. They do not deal much with samãdhi. It’s a most excellent teaching for people who have a lot of wisdom; but for people who don’t, there is nothing they can get hold of. So it isn’t broad enough as a general teaching. There is too little emphasis on samãdhi, and too little emphasis on fully rational teaching, as well. The tendency is to try to break up reason. You can break up reason in people who are very good at reasoning, with possibly good effects, but you shouldn’t try break up reason in people who have very little anyway.

    Have you read about the Zen masters?
    In the Zen stories, the masters have all sorts of odd sayings and unusual ways of teaching their disciples. But those are individual teachings. Unfortunately, nowadays with Zen the students read books of those teachings, which they think they then have to copy. But that’s a completely wrong approach. They're not teachings to be copied. They were individual instructions for people who had specific problems at that moment in time. The real job of today’s Zen students is todeal with the problems they have at the present moment using whatever method is suitable here and now.

    What do you think of the Zen approach that says we are enlightened already just sitting and realizing the Buddha nature?
    It is true to some extent. But to say that we are enlightened is not quite true, when you consider the definition of the word “enlightened”. It is not really true because we still have kilesas. But the way of Zen is quite a genuine one; there is no doubt about it. Ajaan Mahã Boowa says that it’s a wisdom teaching that is suitable for people who have a lot of intuitive wisdom. If they haven’t, it's not very useful. Ajaan Mun was asked once, “How would you say a system is Buddhist?” and he said “If it teaches the Four Noble Truths, it’s Buddhist.” And with Mahayãna, it’s difficult to say because there are so many different types of Mahayãna, so many teachings in it. But generally speaking you can say that they probably do teach the Four Noble Truths. Although it may be a bit hidden, it's there.

    In your assessment, are there fully attained monks in other Buddhist traditions?
    Oh, yes. There’s no doubt that many of the good Zen masters were fully attained. No doubt.

    • Na verdade eu estava perguntando ao senhor mesmo, mas se puder levar essa questão aos mestres seria muito bom! Afinal, o Zen é muito presente aqui no Brasil.
      Obrigado pela sua atenção, achei o texto bem interessante mas também é um pouco estranho, porque vejo muitas semelhanças entre Zen e Theravada mas quando se trata de samma-samadhi parece que o Zen faz uma abordagem distinta daquela aconselhada pelo Buddha. Mas obrigado pelo texto, foi muito útil!

  3. Vc viu Banthe?

    Ajahn Chah falou q um leigo olha para um Arahant e pensa q ele é um louco… é por isso q mesmo com meus problemas mentais eu tenho a esperança que quando eu tiver a disciplina de um monge eu vou ser curado!!!

    • Ele só está dizendo que por fora os Arahants a os loucos se parecem, mas por dentro há muita diferença. É verdade que em alguns casos a disfunção social de uma pessoa seja causada por ela possuir sabedoria e por isso a pessoa se sente "fora d'água" em meio à sociedade, mas na maioria dos casos é falta de qualidades básicas que geram esse problema. Para saber se o caso de alguém é excesso ou falta de qualidade é só comparar a pessoa com a lista dos dez paramis:
      – generosidade (Dāna)
      – moralidade / disciplina (Sīla)
      – capacidade de renunciar a prazer sensuais (Nekkhamma)
      – sabedoria (Pañña)
      – energia (Viriya)
      – capacidade de aguentar situações ou sensações desagradáveis (Khanti)
      – integridade (Sacca)
      – determinação / força de vontade (Adhitthāna)
      – amizade / bem querer (Mettā)
      – equanimidade (Upekkhā)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.