Prática ou Desastre?

Ajahn Chah admoesta os monges a levarem a prática a sério. Notas:

  • Prática ou desastre: trocadilho entre as palavras patibat (ปฏิบัติ) e vibat (วิบัติ).
  • Torturar: (ทรมาน) essa é uma gíria comum entre os monges da floresta, não significa exatamente torturar no sentido comum, significa ir contra a correnteza, ou fazer aquilo que vai contra suas vontades, fazer aquilo que é difícil, assim por diante.
  • Comer pouco, dormir pouco, falar pouco: esse é um ensinamento famoso que Ajahn Chah citava frequentemente, quem for a uma filial do Wat Pah Pong certamente vai ver uma placa  com a seguinte frase escrita: “Comer pouco, dormir pouco, falar pouco, é praticar. Comer muito, dormir muito, falar muito, é ser burro.”
  • Brincadeira: (เล่น) essa é uma palavra difícil de traduzir pois foi utilizada de forma ambígua, significa tanto “brincar” como “fazer à toa”. Por exemplo, pode-se entender “falar brincando” ou “falar à toa”.
  • Não conseguem ficar: difícil transmitir a sensação da frase em tailandês, dá a impressão de que ele quer dizer que as kilesas obrigam ou enganam o praticante a ir em peregrinação.
  • Atravessar o mato: trocadilho entre a palavra tudong (ธุดงค์, dhutanga) e a expressão talú dong (ทะลุดง, atravessar o mato).
  • Nimón: (นิมนต์) é uma expressão de convite que é utilizada somente para monges.
  • Assunto dos outros: esse é um ensinamento frequente de Ajahn Chah, significa que os monges não devem ficar olhando e achando defeito no que os demais monges fazem, mas sim cuidar da sua própria prática.
  • Melhor campo de mérito para mundo: essa é uma das qualidades da Sangha citada frequentemente no Tipitaka (“anuttaram puññakkhettam lokassa”).
Baixe a transcrição deste ensinamento: Versão PDF / Versão ePub

Um comentário sobre “Prática ou Desastre?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.