Sem Morada

Ajahn Chah fala sobre a atitude correta na prática. 

Há uma segunda tradução desta mesma desanā para a língua inglesa chamada “No Abiding”.

 Notas da tradução:

  • Largar: em inglês costumam traduzir a expressão “plói wâng” como “let go”, que é de fato uma boa tradução pois “let go” também possui um aspecto emocional agregado. “Largar” em português não tem essa carga emocional mas ainda assim eu escolhi essa palavra porque vai ser importante mais à frente nessa gravação, apenas entenda que ele está se referindo a um largar mental, largar um apego. Imagine uma pessoa que está segurando algo com muita força, de maneira obsessiva, e então volta a si e larga.
  • Pegar / apegar: em tailandês a expressão utilizada é “yút mân”, literalmente, “segurar firme”. Na verdade ele está dizendo para segurar (yút) sem segurar firme (yút mân). Eu traduzi livremente como “pegar sem se apegar” pois com o decorrer da gravação a expressão vai sendo utilizada de modos diferentes e eu não consegui encaixar a tradução de maneira coerente em todas as situações exceto caso utilizasse “pegar sem se apegar”.
  • Além das razões, acima dos motivos: na Tailândia a palavra para “razão”, “motivo”, “sentido”, é o composto “hêtu-pôn”, quebrado esse composto significa hêtu=causa e pôn=efeito. Ou seja, na Tailândia as pessoas perguntam “Qual é a causa-efeito disso?” significando “Qual a razão disso?” ou elas dizem “Isso não tem causa-efeito!” significando “Isso não faz sentido!” No decorrer do texto Ajahn Chah vem usando o termo nesse sentido, mas nesse ponto ele faz um trocadilho quebrando a palavra em duas, a tradução mais óbvia e mais correta seria “além das causas, acima dos efeitos” mas para manter coerência com o raciocínio que já vinha se desenvolvendo eu optei por uma tradução livre “além das razões, acima dos motivos”. Aqueles que quiserem podem entender usando o significado primário, mais profundo: “além das causas, acima dos efeitos”. Essa expressão, eu sinto, aponta para algo supramundano, além até mesmo da lei mais básica do universo: ação e reação.
  • Āyu, vanno, sukham, balam: as palavras finais dos versos que são recitados por monges, como forma de benção ou agradecimento.
  • Largar o manto: desistir da vida monástica.
Baixe a transcrição deste ensinamento: Versão PDF / Versão ePub

9 comentários sobre “Sem Morada

  1. muito obrigado também. são sempre muito edificantes as palavras do venerável. não seria tb um sacrifício, uma oferta difícil, a vida de monge largando o mundo ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.